Muito além de compartilhamento, esse será o ano de entender seu seguidor e projetar conteúdos com profundidade

As redes sociais se tornam parte do nosso dia a dia. Apostamos que, a primeira coisa que você faz ao desligar seu despertador é olhar seu Facebook ou as fotos dos seus amigos no Instagram. Então porque não olhar para essa parte do marketing empresarial com mais atenção e eficácia?

Pensando em agregar valor ao mercado com informações sobre consumo, compartilhamento, desempenho e planejamento de mídia digital, sugerimos o que será tendência nas redes em 2017.

O que, de antemão, podemos te alertar é que você terá que se preparar para produzir vídeos e que, por conta disso, a rivalidade entre os aplicativos Facebook e Snapchat crescerá ainda mais. Confira abaixo nossas tendências e conte conosco para realizá-las:

 

O dark social é uma realidade 

Hoje em dia, tudo o que você gosta nas redes sociais mais usadas é bem fácil de ser compartilhado. Mas antes destes botões existirem as pessoas usavam o tradicional “Ctrl+C” e “Ctrl+V” para copiar a URL do material e mandar para alguém, via e-mail. Ao ler isso você pode pensar: “Peraí, eu ainda faço isso!”.

Não se assuste, você não está sozinho ou é ultrapassado. Milhões de pessoas continuam compartilhando conteúdo dessa forma, principalmente com a alavancada dos melhores aplicativos como WhatsApp, Viber e Telegram. O processo foi classificado por Alexis Madrigal como “Dark Social”

Observando a movimentação de aplicativos de bate papo em 2016, os chatbots de atendimento – aplicativos que reproduzem códigos de conversas para

gerar uma comunicação automatizada com os usuários – surgiram como outra grande tendência a se observar.

 

O Facebook quer mas Snapchat não sede 

Por conta da sua influência nas redes sociais, o Facebook já tentou comprar o Snapchat e, por não conseguir, incluiu vídeos no Instagram e criou o Flash, aplicativo praticamente igual ao Snapchat.

Diversificar é o foco, ainda mais em vídeos que somem em 24hrs. Com isso as novas redes sociais se mostram ainda mais efêmeras e repletas de conteúdos do dia a dia de pessoas comuns.

 

Perguntas e respostas: Influenciadores em movimento  

Seu site tem uma área de FAQ ( Frequently Asked Questions ou Perguntas Frequentes)? Ainda não? Chame um youtuber que converse bem com o seu público para responder as questões que mais aparecem nas suas redes sociais. Ou de cara para um de seus colaboradores se tornar um influenciador e gerenciar o conteúdo das redes sociais.

Redes sociais mais populares que blogs e sites

Com certeza você deve ter o seguinte costume: publicar um conteúdo incrível no blog da sua empresa e utilizar as principais redes sociais para atrair público, certo?

Fique atento, pois essa realidade tem mudado aos poucos, e a tendência para 2017 é adotar a estratégia de publicar diretamente na mídia social, ao invés de levar o usuário para outro site.

 

A nova era da Realidade Aumentada

O Pokemon Go foi o grande boom de 2016 e com ele a Realidade Aumentada foi  popularizada.

Com isso, diversos mercados e players já têm repensado estruturas e estratégias — como Google,

Apple, Facebook, Snap, Twitter e Amazon — e de veículos de mídia, como o The New York Times.

 

Content Marketing na divisão de experiências 

O marketing de conteúdo costumava ser bem simples. Mídias e marcas publicavam nos seus sites/blogs e compartilhavam estes conteúdos nas melhores redes sociais.

Este processo não é mais assim. A diversificação de canais de comunicação exigiu das marcas a produção de conteúdos específicos e abordagens customizadas para cada um deles e com isso as experiências diferenciadas entram em cena.

 

Tenha sua própria TV 

Não é só sobre a interação que ocorre entre programas de TV e redes sociais, como podemos observar no Twitter. Agora você pode ter sua própria TV, seja no Youtube ou no próprio Facebook, lembrando que esse conteúdo em vídeo pode ser assistido nas Smart Tvs. Ou seja, o fenômeno “Social TV” marca a união da televisão com essas mídias digitais, por meio das milhões de pessoas que compartilham as suas experiências com outros telespectadores nas principais redes sociais.

 

Social commerce: Pinterest reivindica o trono

Ainda que as melhores redes sociais como o Facebook e o Instagram tenham lançado recursos para facilitar a compra de produtos a partir de seus canais, a conversão ainda é complexa e apresenta resultados aquém das expectativas.

Uma exceção pode ser o Pinterest. Uma pesquisa da Kantar Millward Brown relatou que 96% dos visitantes da rede social de compartilhamento de fotos usam o site para planejar uma compra, e 87% realmente fizeram uma compra depois de ver algo que apreciaram.

Por isso, a capacidade do Pinterest gerar vendas é um importante diferencial da plataforma. Fora que ele se torna uma ferramenta para auxiliar o trabalho de SEO devido ao compartilhamento de links.